HUMOR X

O ASSALTO

A1 – Vamos assaltar as agências de banco do Congresso Nacional.

A2 – Não diga besteira. Não vamos perder tempo.

A1 – Como assim?

A2 – Lá dentro do Congresso Nacional. tem assaltantes saindo pelo ladrão.

O DESVIO DE VERBAS PÚBLICAS

POLÍTICO1 – Por que você está tão revoltado com o desvio de verbas públicas?

POLÍTICO2 – Ora, porque não recebi a minha parte.

NO HOSPITAL

AMIGO1 – Eu vim fazer uma visita a você no hospital.

AMIGO2 – Muito obrigado.

AMIGO1 = De nada, companheiro. Ah, não se esquerça de me convidar para o seu enterro.

EM BRASÍLIA

lLIXEIRO1 – Aonde eu coloco todo o lixo coletado na cidade?

LIXEIRO2 – No Congresso Nacionall

A PREGUIÇA

AMIGO1 – O Panfúcio tinha tanta preguiça, tanta preguiça que…

AMIGO2 – Como assim?

AMIGO1 – Imagina, ele era tão preguiçoso, tão preguisoço mesmo, que, quando morreu, não teve coragem de entrar no caixão. Foi precioso as pessoas colocá-lo lá.

NO HOTEL

AMIGO1 – É tanta sujeira  no hotel do Calixto, que o prato preferido e baião ded dois.

AMIGO2  – Arroz com feijão misturados?:

AMIGO1 – Não, arroz com moscas.

BRASÍLIA

AMIGO1 = Brasília é comparada a um grande computador.

AMIGO2 – Como assim?

AMIGO1 – O palácio do planalto é o HD.

AMIGO 2 – E os ministérios?

AMIGO1 – As pastas de arquivo.

AMIGO2 – E o Congresso Nacional?

AMIGO1 – O mouse e a lixeira.

BRASÍLIA

AMIGO1 –  Como se chamam as bocas de lobos em Brasília?

AMIGO2 – Ah, esta pergunta é muito fácil.

AMIGO1 – Então, diga.

AMIGO2 – Bocas de corruptos

A PREGUIÇA

AMIGO1 – Se você quer arranjar um emprego, precisamos saber da sua vida preguessa.

AMIGO1 – Hum, não está fácil. Eu posso apresentar a minha vida preguiça?

CONGRESSO NACIONAL

ELEITOR1 – No Congresso Nacional, há o Departamento de Pessoal(DP)?

ELEITOR2 – Sim. Há também o Departamento de Propina(DP).

MORADA NOVA

AMIGO1 – Vou arranjar uma morada nova para você em uma área nobre da cidade

AMIGO2 – Onde fica esta área nobre?

AMIGO1 – No cemitério.

 

TID

AMIGO1 – No Brasil há tráfico internacional de drogas?

AMIGO2 – E de corruptos também.

BRASÍLIA

AMIGO1 – Em Brasília, tivemos um surto de febre amarela.

AMIGO2 – E de políticos corruptos também.

 

A VELA

AMIGO1 – O amigo tem muitas preocupações com o estado de saúde de seu pai.

AMIGO2 – A única preocupação, que eu tenho com meu pai, é que ele morra sem vela na mão.

 

ÁREA DE RISCO

AMIGO1 – Em São Paulo, há, no centro da cidade, um área de risco chamada cracolândia.

AMIGO2 – E em Brasília, no centro da cidade, uma área de risco chamada corruplândia.

CONGRESSO NACIONAL

ELEITOR1 – No Congresso Nacional, há o voto de Minerva?

ELEITOR2 -E o voto de corrupto também.

A VACINA

ELEITOR1 – Os parlamentares tomaram a vacina contra a corrupção, mas continuam corruptos.

ELEITOR – Eles justificam dizendo que as vacinas estavam vencidas.

A PROPINA

ELEITOR1 – O deputado disse que recebe a propina pela caixão 2.

ELEITOR2 – Caixão 2 ou caixa 2?

ELEITOR1 – Caixão 2.

ELEITOR2 = Como assim?

ELEITOR – O deputado recebe propina até de quem já morreu.

O EMPREGO

DEPUTADO – Você vai sair do palácio do planalto e vai trabalhar no Congresso Nacional

ELEITOR – Pelo amor de Deus, não faça isto comigo, deputado

DEPUTADO – Como assim?

ELEITOR – O Senhor vai me tirar de um ninho de cobras e me colocar em um ninho de ratos!

O EMPURRA, EMPURRA

ELEITOR1 – Os parlamentares não resolvem os problemas do povo. Ficam empurrando os problemas com a barriga.

ELEITOR2 – É verdade, amigo. Eles só não empurram com a barriga a corrupção.

ELEITOR1 – Como assim?

ELEITOR2 – A corrupção, eles não empurram com a barriga, mas comem a corrupção com a barriga.

OS ANIVERSÁRIOS

ELEITOR1 – Nos aniversários dos parlamentares. os bolos são confeitados?

ELEITOR2 – Não. Nos aniversários dos parlamentares, os bolos são “CORRUPTADOS”.

 

O DITADO

ELEITOR 1 – No Ceará tem um ditado que diz assim: “Cada macaco no seu galho”.

ELEITOR 2 – Em Brasília é diferente.

ELEITOR1 – Como assim?

ELEITOR 2 – Em Brasília tem  um ditado que  diz assim: “Cada macaco no seu galho, e cada corrupto no seu gabinete.

NA ESCOLA DE LÍNGUAS

ESTUDANTE1 – Como vai o seu Inglês?

ESTUDANTE2 – Bem, o meu Inglês não é tão bom. Mas eu já me viro em um aeroporto, em um restaurante, em uma farmácia, em um mercado, em um cemitério, e em outros lugares.

ESTUDANTE1 – Até em cemitério, você é capaz de falar Inglês, como assim?

ESTUDANTE2 – Como no cemitério é muito calmo, eu sou capaz de conversar em Inglês com os defuntos

 

MORTE SÚBITA

AMIGO1 – Amigo, você soube que o deputado Galego morreu de repente?

AMIGO2 – Oh, não! Teve uma parada cardíaca?

AMIGO1 – Não,  o deputado teve uma corrida corrupta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »